Surpresa!

Anaïs me surpreendeu. primeiro, minhas escusas por minha ausência, mas, não conseguia nem me levantar de tão cansado deste sábado/domingo. vamos aos fatos:

Sábado pela manhã, por volta do meio-dia, conecto-me ao MSN. Uma mensagem off-line de Anaïs dizia “leia seu e-mail, urgente”. E fui, com uma rapidez incrível, principalmente para quem acabara de acordar. Dizia o e-mail “responda-me este e-mail assim que puderes.” E respondi com um “Queria Anaïs, estou morrendo de tesão e saudades!!!” E pronto. Alguns minutos depois, meu celular toca. “Número não identificado”. Odeio isso! Geralmente não atendo, mas, apertei o botão verde:

“Oi!”
“Bom-dia! Você acabou de acordar?”, dizia uma voz feminina.
“Sim, quem está falando”, perguntei com um certo receio da resposta. Queria que fosse ela, mas, provavelmente era alguma foda anterior.
“Adivinhe!”, comecei a odiar aquela ligação; mas o nervosismo também aumentou.
“Olha, não consigo adivinhar vozes no celular, desculpe”, tentei responder com a maior boa-vontade, esboçando um sorriso.
“É verdade, seria difícil mesmo, visto que nos falamos poucas vezes até hoje. Principalmente da última vez no motel, semana passada”.
Engoli em seco. Era Anaïs! Meu coração disparou! Minhas papilas gustativas não salivavam. Um calor forte subiu para minha cabeça. Tudo numa fração de segundo enquanto eu tentava me recompor do susto.
Anaïs?”
“Sim, quem mais conseguiria te deixar tão sem-graça como eu deixei agora? Imagino que estás vermelho como uma pimenta”, e deu uma risada maliciosa e gostosa ao mesmo tempo.
“Olha”, ainda tentando recuperar o fôlego, “não vou mentir. Estou sem palavras. Como…?”, mas ela não me deixou terminar a frase.
“Bem, não resisti e, da última vez peguei a chave do seu carro, abri e vi o documento dele. Lá estava seu nome”. Queria morrer naquele momento; entretanto, estava feliz que ela me procurava. Isso era o que importava. “Não foi preciso muita pesquisa para descobrir seu nome, endereço, telefone etc. E aqui estou eu, morrendo de vontade de ver sua cara linda com esta minha surpresa”.
“É, estou sem palavras. Quero dizer, e agora?”
“Agora? Agora EU estou no comando, queridinho. E quero trepar contigo HOJE.”
“Eu também quero!”
“Shhhhh… Hoje tu não queres nada. Sou eu quem mando aqui!”
“Sim senhora”, era a única coisa que podia responder.

Agora a coisa mudara. Eu teria que obedecer. Ela sabia tudo sobre mim, e eu não sabia nada sobre ela. A única coisa que sabia, é que seu corpo não tinha mistérios para mim. Seu tesão eu conseguia controlar com extrema facilidade. Sim, talvez outro consiga também, não sei. Mas sei que ela me quer, assim como a quero. Outra coisa mudara: ela marcou o encontro para um apartamento. Disse que era de uma amiga, mas, de nada adiantaria eu saber isso, pois ela não me deixara como saber mais nada: “A rua é a F. S., no centro da cidade. Esteja na esquina com a rua O. M. J. Esteja lá à uma da manhã. Tchau.” E desligou o telefone, sem que eu nem pudesse dizer que sim.

Sim, à 1h da manhã lá estava eu. Ela apareceu de repente. Quase nem a vi chegando. Mandou-me virar. Colocou uma venda nos meus olhos (aproveitando, é claro, o vazio da rua), e em seguida beijou-me na boca, com uma sofreguidão de apaixonados que há muito não se beijam. Durante o beijo, girou-me algumas vezes e então, fomos em direção ao apartamento. Acho que atravessamos uma rua e voltamos, só que não tinha mais certeza de nada após aquele beijo.

Após alguns poucos minutos de caminhada, enfim, senti que chegávamos ao tal prédio. Entramos num elevador. Saímos, subimos escadas, e lá estávamos. Tirou minhas vendas. Mandou-me ficar ali, de costas para ela, enquanto trancava a porta. Então, falou “Não adianta querer espiar. As janelas estão trancadas, e não possuem visão para a rua, portanto, será inútil olhares. Entretanto, se eu te pegar olhando, nunca mais me verás!”. Respondi, com um pouco de medo “mas… não é injusto tu saberes tanto de mim, enquanto eu nada sei de ti?”. “Sim, é injusto, mas é só por agora. Logo saberás mais de mim, prometo. Só que, agora, sou eu quem estou no comando, entendeu?”. ” Entendi”.

(amanhã eu continuo este relato. estou muito cansado para continuar escrevendo, e ainda preciso recuperar minhas forças.)

sadomasoquismo

~ por pornografo em 16 dezembro, 2007.

3 Respostas to “Surpresa!”

  1. Não, não, não!!! Parar assim é como tirar doce da boca de criança. Estou em cólicas de ansiedade para saber o resto. Putz, a curiosidade é meu calcanhar de Aquiles… Vou pensar nisto o dia todo. Ou melhor, vou acessar teu blog o dia todo até que eu ache o restante do texto. Embora confesso que a minha imaginação já criou centenas de situações e perversões deliciosas que se encaixariam perfeitamente neste encontro.
    Aguardo ansiosamente o próximo post… e bota ansiosamente nisto! rs…
    Beijossssssssssssssss

    PS: Vou te linkar, posso???

    Droga, errei até o lugar do comentário. Olha o que vc faz comigo! rs..
    Apaga o de baixo, please. Beijossssssssss

  2. Nossa, na minha cabeça tmb já rolaram alguns desfechos pro relato acima… mas tenho certeza q nenhum melhor do q o q realmente aconteceu…
    Escreve logo pelo tesão q vc tem pela Anaïs…
    Beijos

  3. Alana, desculpe-me por fazê-la sofrer com esta demora, mas, foi necessária para que eu pudesse me recompôr (além do problema da internet ontem) também hehehehehehe

    Realmente, nenhum pode ter sido melhor. Bem, poderia ter sido melhor se a amiga dela tivesse entrado na jogada hehehehehehe

    beijos para as duas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: