Sozinho?, nunca!

Sério, vou te falar só uma vez: não deixa isso acontecer! Não, nunca! Nunca fique com uma amiga da sua mulher na sua casa sozinho com ela. Pô, ontem a Rê deu uma festa aqui em casa para o pessoal do escritório. Pessoal não, mulherada, e três caras, dos quais só um parecia ser do “masculino”, se é que me entendes. É, esse povo dessa área de moda é assim mesmo, fazer o quê? Mas então, como ia dizendo, lá pelas duas da manhã, a Rê chapada, eu chapado, todomundochapado, e o povo começa a ir embora. Quando faltava a mais gostosa das amigas, descubro que ela tinha pedido para a Rê pra dormir lá em casa. Até aí, nenhum problema, apesar que minha cabeça já foi longe e voltou nessa hora, pois a guria era muuuuuito gostosa mesmo! E com um vestidinho tubinho preto, que deixava a putinha ainda mais gostosa! Tinhas que ver a marca da calcinha dela. Quase inexestia, o que quase me fez ficar de pau duro, não fosse as cinco cervejas + três doses de tequila + uma dose de absinto que tinha tomado. Foda, cara. Tá, aí a Rê, quando dei por mim, já tava na cama, totalmente bodiada. Acho que ela tomou mais do que eu, mas, sinceramente, com a mulherada lá dentro de casa nem percebi. Foi então que percebi a guria… o nome dela? Sinceramente, é a única coisa que não lembro. É claro que eu sei que tu nunca lembras de porra nenhuma quando enches os córnos. Mas eu sou diferente, oras. Mas voltando: lá estava ela, jogada no sofá, vendo algum filme que não consegui identificar na televisão. As pernas reluziam. Putamerda. Que coxas! Aí, é claro, soltei uma piadinha imbecil do tipo “ah, à essa hora só passa aqueles filmes que dizem que é erótico mas só mostra peitos e pedaços de bundas”, e, claro, ela caiu na gargalhada, bêbada que já tava. Sentei do lado, e como o sofá só cabiam nós dois, minha perna encostou na dela (eu tava de bermudas). Putz, só isso já bastou pra eu ficar elétrico. Percebi que ela tinha fumado unzinho também. E olha que nem vi ninguém fumando lá em casa (eu devia estar feio na foto mesmo). Logo, pensei, meudeuséhoje! Mas então, é claro, me toquei que estava dentro-da-minha-casa-com-minha-mulher-dormindo-a-poucos-metros-dali. Só que, cara, o negócio é que tinha uma outra mulher dentro da minha própria casa, às duas da manhã, sozinha, e gostosíssima. Ah, isso sem contar que estávamos chapados! O que que eu podia fazer? Sabe, é foda. A guria ali, dentro do teu território, duas da madrugada, vestida num tubinho preto? Duvido que algum outro homem nas mesmas condições não faria nada. Pois é. Eu fiz. Na minha primeira tentativa, cheguei dando um beijinho na boca já. Ela quase continuou. Mas me empurrou. Bem, isso é normal, pensei, e ataquei mais uma vez. Tás vendo minha orelha? Pois é, esse cortezinho aqui foi com o tapa que ela me deu na cara nesse segundo ataque. Porra, a guria tinha uma baita unha também. Depois dessa, é claro, fui dormir. Ela ficou lá, quase rindo da minha cara, a vagabunda. Ah, eu disse pra Rê que nem lembro como cortei a orelha, bêbado que eu tava, e claro que ela acreditou, né?

rapariga no sofá

~ por pornografo em 13 novembro, 2007.

2 Respostas to “Sozinho?, nunca!”

  1. Isso vai salvar a sua vida!

  2. Aqui é do caralho, uma gata muito gostosa!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: